ArabicChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

No dia 12 de novembro a Igreja Católica celebra a memória de São Josafá Kuncewicz, bispo e mártir, considerado padroeiro do Ecumenismo. Por que a Igreja de Cristo lhe deu este título e quem foi São Josafá?

Comecemos pela sua história

A Rússia foi evangelizada pelos cristãos bizantinos pouco antes do cisma do século XI e seguiu a Igreja grega na separação de Roma, aceitando-lhe a dependência até 1589, quando se tornou autônoma com a elevação do metropolita de Moscou à dignidade de patriarca. Neste mesmo período a Rutênia havia passado do domínio russo ao polonês. Os sacerdotes ortodoxos, entrando em comunhão com Roma, puderam manter os autênticos ritos e as tradições da Igreja eslava. Nesse clima ecumênico, que fazia pressagiar a composição do cisma do Oriente, nascia em 1580, de nobre família ortodoxa separada, João Kuncewycz, o futuro apóstolo da unidade dos cristãos do Oriente.

Desde jovem João manifestou vocação religiosa. Por isso, dedicou-se ao estudo da filosofia e da teologia. Ao completar vinte anos, ingressou na Ordem de São Basílio e tornou-se monge. Ao emitir seus votos, adotou o nome de Josafá. Apesar da pouca idade, destacou-se pelo comprometimento, espírito de oração, sabedoria e caridade para com todos.

Em pouco tempo, foi nomeado superior do mosteiro. Logo depois, foi nomeado arquimandrita, título que equivaleria a “monsenhor”, da cidade histórica de Polotsk, na Rússia. Depois disso, tendo somente trinta e sete anos, foi nomeado arcebispado de Polotsk, tendo aceitado a contragosto.

Os escritores são unânimes em narrar que a brilhante carreira de São Josafá Kuncewicz era totalmente justificável por causa dos dotes intelectuais e espirituais do santo. Além disso, sua vida era um exemplo de virtudes, de prática da caridade e de obediência total à disciplina da vida monástica.

Josafá Kuncewicz e um grande grupo de religiosos orientais,  membros da igreja separada e cismática da Rússia, converteram-se à Igreja Católica Apostólica Romana. Eles reconheceram que a Igreja Católica era a verdadeira Igreja fundada por Jesus Cristo. Eles decidiram conservar a liturgia oriental criada por São João Crisóstomo e passaram a ser conhecidos como Uniatas.

Josafá defendia com muita coragem a autoridade do papa como o verdadeiro representante de Cristo e o sucessor de Pedro na terra. Ele também lutou pelo fim do cisma, isto é, da divisão, procurando com a união com a sede de Roma. Pregava, ensinava e fazia de tudo para seguir os ensinamentos e a doutrina de Jesus Cristo estando em uma só Igreja, sob a verdadeira autoridade de um único pastor.

A pregação de Josafá a favor do Papa e da unidade da Igreja desagradou sobremaneira aos cismáticos. Estes passaram a considerá-lo  um renegado e mau exemplo de patriota. Por causa disso, São Josafa afirmou várias vezes: “Vereis que ainda me vão matar”. Deixou seu rebanho avisado de que isso aconteceria. Porém, não tinha medo e nem por um momento deixou de lutar.

Numa de suas visitas pastorais a uma paróquia sob seu governo, sua casa foi atacada. Muitos que o acompanhavam foram massacrados. Josafá, então, apresentou-se corajosamente diante dos inimigos e perguntou-lhes: “Porque vocês matam meus familiares se querem matar a mim?” Então, sem piedade, a multidão de cismáticos o espancou e o torturou. Depois, decidiram matá-lo e jogar seu corpo num rio. Era o dia 12 de novembro de 1623. Esses fatos aconteceram em Vitebsk, na Bielorússia. O corpo de Josafá foi recuperado milagrosamente mais tarde e passou a ser venerado pelos católicos. Mais tarde, os assassinos do santo foram presos, passaram por um julgamento e foram condenados. Depois de certo tempo, arrependidos, converteram-se. A canonização de São Josafa Kuncewicz foi celebrada pelo Papa Pio IX, em 1876.

Padroeiro do Ecumenismo

Com zelo apostólico e luta heroica, São Josafá, como bispo, foi um grande defensor da Igreja de Roma, promovendo a união entre cristãos, buscando banir a chaga do cisma em toda a região sob sua gestão (Ucrânia, Lituânia e Polônia). Foi martirizado por incomodar o clero cismático da sua época, defendendo o Corpo de Cristo como sinal de unidade.

O mundo de hoje precisa reencontrar o caminho da unidade na diversidade. O Ecumenismo, movimento religioso que pretende a união dos cristãos ao redor de uma mesma postura religiosa, precisa encontrar apoio de todos os grupos que têm em Jesus a grande referência da vida. Que São Josafá, padroeiro do Ecumenismo, ajude-nos nesta tarefa.

Oração a São Josafa Kuncewicz

“Suscitai, ó Deus, na vossa Igreja o Espírito que impeliu o bispo São Josafá a dar a vida por suas ovelhas e concedei que, por sua intercessão, fortificados pelo mesmo Espírito, estejamos prontos a dar a nossa vida pelos nossos irmãos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém. São Josafá Kuncewicz, rogai por nós.”

O Papa Francisco recebeu no Vaticano nesta segunda-feira (25/outubro) uma peregrinação ecumênica vinda da Alemanha “Com Lutero ao Papa”. Na ocasião convidou todos a se unirem para escutar a melodia de Deus, que o Senhor compôs dentro da vida de cada um. Também desejou a disponibilidade de escuta para a Igreja afirmando: “Estamos reaprendendo a escuta no processo sinodal”.

Em seguida disse aos presentes:

Queridos amigos, escutem também a melodia de Deus em suas vidas; a melodia que o Senhor compôs dentro de suas vidas. Abram não somente seus ouvidos, mas também seus corações. Quem canta de coração aberto, talvez sem se dar conta, já toca o mistério de Deus. Este mistério é o amor, o amor que em Jesus Cristo encontra seu som esplêndido, pleno e único“.

E concluiu o encontro desejando: “Ouçam sempre a melodia de Deus em suas vidas. Porque um canto é formado por muitas vozes. E o mesmo acontece com o ecumenismo, na Alemanha e em muitas outras partes do mundo”.

Obtenha mais informações clicando aqui.

Em abril deste ano, celebrando a Paixão do Senhor, o Cardeal Frei Raniero Cantalamessa, pregador da Casa Pontifícia, proclamou a homilia em missa presidida pelo Papa Francisco, no Vaticano, e trouxe-nos a reflexão sobre a principal dificuldade que causa divisões entre católicos. Veja a seguir alguns trechos desta pregação.

“Qual é a causa mais comum das divisões entre os católicos? Não é o dogma, não são os sacramentos e os ministérios: coisas estas que, por singular graça de Deus, mantemos íntegras e unânimes. É a opção política, quando ela se sobrepõe àquela religiosa e eclesial e desposa uma ideologia, esquecendo completamente o sentido e o dever da obediência na Igreja” […]

“A fraternidade católica está dilacerada! A túnica de Cristo foi cortada em pedaços pelas divisões entre as Igrejas; mas – o que não é menos grave – cada pedaço da túnica, por sua vez, é frequentemente dividido em outros pedaços. Naturalmente, falo do elemento humano dela, porque a verdadeira túnica de Cristo, seu corpo místico animado pelo Espírito Santo, ninguém jamais poderá dilacerar. Aos olhos de Deus, a Igreja é “una, santa, católica e apostólica”, e assim permanecerá até o fim do mundo. Isto, contudo, não desculpa as nossas divisões, mas as torna ainda mais culpáveis e deve nos impulsionar, com mais força, a restaurá-las”. […]

“É isto, em certas partes do mundo, o verdadeiro fator de divisão, ainda que tácito ou indignadamente. Isto é um pecado, no sentido mais estrito do termo. Significa que o “o reino deste mundo” se tornou mais importante, no próprio coração, do que o Reino de Deus. Creio que sejamos todos chamados a fazer um sério exame de consciência sobre isso e a nos convertermos. Esta é, por excelência, a obra daquele cujo nome é “diábolos”, isto é, o divisor, o inimigo que semeia o joio, como o define Jesus em sua parábola (cf. Mt 13,25)”. […]

“Se há um dom ou carisma próprio que a Igreja Católica deve cultivar em benefício de todas as Igrejas, este é a unidade.” […]

Veja mais sobre o assunto, clicando aqui.

(*) Foto em destaque: Vatican News

Em 15 de setembro deste ano, no Rio de Janeiro, foi formalizada uma Declaração Conjunta em favor da liberdade religiosa no Brasil. Após este importante ato, o passo seguinte foi a formação de um grupo de comunhão de líderes, que tem como proposta reuniões mensais para promover reflexões sobre a unidade cristã, tema tão necessário e, ao mesmo tempo, difícil e até polêmico nos corredores das Igrejas.

Nesta última terça-feira, 12 de outubro, ocorreu o primeiro encontro online desse grupo de comunhão com a participação de quatorze lideranças cristãs com ministérios espalhados pelo Brasil e também com trabalhos internacionais.

Estiveram presentes Sr. Izaías Carneiro, fundador da Comunidade Coração Novo e presidente da Missão Somos Um; Pr. Asaph Borba, ministro de música e líder de louvor; Pr. Silas Esteves, fundador e pastor Ministério Bethesda; Pr. Edvaldo Nascimento, membro da Nova Igreja, na Barra da Tijuca/RJ e vice-presidente da Missão Somos Um; Bispo Francisco Ferreira, Igreja Sara Nossa Terra; Pr. Valmilton Dantes, do Ministério Restauração e Vida; Pr. Luiz Guatura, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Ministério Madureira; Pe. Marco Tulio, pároco da Paróquia São Vicente de Paulo, no Engenho da Rainha; Pr. Carlus Marcelus, Ministério Empreendedor Cristão – MEC; Pr. Jacó Tavares, da Save Church; Sr. Pedro Menezes e sua esposa a Sra. Nathalia Menezes, do Ministério Restauração e Vida; Sra. Ângela Amorim, secretária geral da Comunidade Coração Novo e da Missão Somos Um; Sra. Elena Arreguy, membro da Comunidade Católica Shalom e secretária internacional da Missão Somos Um; e, por fim, Sra. Eloina Montalvão, secretária executiva da Comunidade Coração Novo.

O encontro teve seu início com a ministração de cânticos feita pelo pastor Asaph Borba, seguida de uma reflexão sugerida pelo bispo Francisco Ferreira em torno do tema “misericórdia”. A partir daí cada participante fez uma breve reflexão culminando com uma oração. O encontro se encerrou com a oração ministrada pelo irmão Pedro Menezes.

21 de outubro – Dia do Ecumenismo (Unidade do Corpo de Cristo)

O Dia do Ecumenismo é comemorado anualmente em 21 de outubro, no Brasil.

Esta data celebra o ato ecumênico que, de acordo com a definição eclesiástica do termo, consiste na busca da unificação entre as diferentes vertentes do cristianismo – católica, protestante e pentecostal.

O Ecumenismo também é reconhecido como um momento de confraternização e desejo de paz na humanidade, abrangendo todos os campos do conhecimento, com harmonia e respeito.

Atualmente, vários estados brasileiros celebram o ato ecumênico no dia 21 de outubro, como: Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso.

Em outros estados brasileiros, como no Pará e no Amazonas, o Dia do Ecumenismo é celebrado em 23 de setembro.

Dia do Ecumenismo - Unidade do Corpo de Cristo

O Grupo de Comunhão da Missão Somos Um do Engenho da Rainha, tradicional bairro do subúrbio carioca, esteve reunido na noite desta quinta-feira, 07/10/21, na Igreja Assembleia de Deus – Ministério Madureira – para a 3ª edição do Jantar de Comunhão. O Pr. Wellington de Carvalho, Presidente da Congregação deu as boas vindas aos visitantes e convocou a equipe de louvor para ministrar a adoração.

Estiveram presentes no evento o Pr. Marcelo Menezes (Igreja Cristã Amor de Cristo), o Pr. Brito Júnior (IEAD-Madureira), o Pr. Leandro Barcellos (Ministério Novo Amanhecer do Rio de Janeiro – MINARJ), Pe. Marco Túlio (Pároco da Paróquia São Vicente de Paulo), Izaías Carneiro (Presidente da Conferência Missão Somos Um) e Jorge Amancio (Líder do Grupo de Comunhão local).

Durante a programação, Izaías Carneiro teve a oportunidade de compartilhar a visão da unidade assumida pelos irmãos e irmãs conectados na MSU, e estender o convite para a participação da liderança.

Após um tempo de partilha e aprofundamento da visão da unidade, os irmãos foram convidados para o jantar preparado pelas irmãs da congregação.

Na manhã de 4 de outubro (segunda-feira), o Bispo Abner Ferreira, líder das Assembleias de Deus – Ministério Madureira, e um dos líderes que motivam Missão Somos Um, esteve presente no Vaticano onde participou do evento “Faith and Science: Towards COP26”, na sala das bênçãos, no Estado do Vaticano.

O encontro tem como foco um apelo aos participantes da COP 26, a conferência climática anual da ONU, programada para se realizar em Glasgow, Escócia, de 31 de outubro a 12 de novembro.

O evento contou com a participação de diversos líderes mundiais, autoridades, eminências, ministros de estados e cientistas, dentre eles, sua Santidade, o Papa Francisco.

Bispo Abner levou uma palavra representando, a Convenção Nacional Das Assembleias de Deus do ministério de Madureira, na pessoa do seu Presidente Vitalício Bispo Primaz Manoel Ferreira, e do Presidente Executivo Bispo Samuel Ferreira.

Ele ressaltou aos presentes que: “A principal tarefa da Igreja é anunciar as Boas Novas de salvação em Cristo Jesus, mas isso não a isenta de preocupar-se com a questão ecológica. Foi Deus quem responsabilizou o homem sobre esta tarefa, “Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e guardar” (Gênesis 2:15).

O cristão não deve violar os mandamentos de Deus quanto à preservação das espécies por causa do progresso.

A preservação do meio ambiente não é responsabilidade apenas dos governantes.

O zelo pelo local onde vivemos é tarefa de cada um de nós, pois é, antes de tudo, nossa casa, nosso patrimônio, nosso bem maior, nossa herança.

O que podemos fazer para reduzir a poluição e os impactos ambientais?

A preservação do meio ambiente está intrinsecamente ligada ao que o homem é, ao que ele tem e ao que pode deixar de legado para as futuras gerações.

O cuidado com o planeta pode ser feito tanto no âmbito da coletividade quanto da individualidade.

Hábitos simples podem gerar enormes mudanças.

Uma mente renovada e sadia pensa com qualidade acerca do ambiente em que vive, em total harmonia com a natureza. “Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.

Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios” (Salmos 24:1-2).”

Ministério de Madureira
Unidade, Hierarquia e Disciplina.

Veja abaixo alguns registros fotográficos do evento.

O Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos é o Dicastério do Vaticano responsável pelas relações estabelecidas pela Igreja Católica com as demais Igrejas Cristãs. No mês de
junho de 2019 – durante o evento que marcou o início dos trabalhos do CHARIS (novo Serviço Internacional para a Renovação Carismática Católica), no Vaticano II – o Sr. Izaías de Souza Carneiro (Presidente da Conferência Internacional Somos Um) reuniu-se com Sua Eminência Cardeal Kurt Koch (Presidente do referido Pontifício Conselho) e com Mons. Juan Usma Gómez (Responsável pelas relações pentecostais do mesmo Pontifício Conselho) para lhes apresentar a proposta da Missão e da Conferência Internacional Somos Um.

Mediante esse contato e oficialização do convite ao Pontifício Conselho realizado por Sua Eminência Cardeal Dom Orani João Tempesta (Arcebispo do Rio de Janeiro), o Cardeal Kurt Koch enviará à III Conferência Internacional Somos Um como seu Delegado o Mons. Juan Usma Gómez.

Mons. Usma participará de todos os momentos da Conferência, desde o Encontro para Líderes Internacionais até a grande Conferência. Trata-se de uma significativa presença considerando que o
Vaticano deseja acompanhar as iniciativas ecumênicas ao redor do mundo, especialmente a partir do Diálogo Católico-Pentecostal, cuja Comissão Internacional se reúne desde 1972 e que atualmente tem como um de seus membros o Dr. Pe. Marcial Maçaneiro, Assessor Teológico da Missão Somos Um.

Durante a Conferência, Mons. Usma proferirá uma palavra aos participantes a partir desse contexto bem como do pontificado do Papa Francisco.

31 Líderes católicos e evangélicos de várias cidades do país e representantes da sociedade civil reuniram-se nesta quarta-feira (07 de agosto), às 15h, na Mitra da Arquidiocese do Rio de Janeiro para partilha e alinhamento dos encaminhamentos referentes à realização da III Conferência Internacional de Louvor e Adoração Somos Um, que acontecerá na cidade do Rio de Janeiro entre os dias 16 e 22 de setembro de 2019. Durante a Audiência, foi lido e aprovado o texto da “Carta de Intenções do Rio de Janeiro”, que será assinada durante a III Conferência. Esta Carta contém uma série de intenções que serão assumidas por diversas lideranças católicas e evangélicas em prol da unidade dos cristãos.

A Audiência foi dirigida pelo líder católico Izaias Carneiro (Presidente da Conferência Somos Um) e contou com a acolhida de Dom Orani João Tempesta, O.Cist., Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, que dirigiu aos presentes palavras de encorajamento e apoio à visão de unidade.

Participaram da Audiência as seguintes lideranças:

Bispo Francisco Almeida – Igreja Sara nossa Terra – Rio de Janeiro/RJ
Bispo José dos Reis de Macedo – Comunidade Cristã para Todos os Povos – São Paulo/SP
Bispo Laerte Lafayete – Casa do Pai Igreja Cristã / Missão Somos Um
Dom Francisco Biasin – Representante da CNBB (Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso)
Ir. Lina Boff – PUC-Rio
Pe. Fábio Luiz de Souza – Diálogo Ecumênico e Inter-Religioso – Arquidiocese do Rio de Janeiro
Pe. Marcial Maçaneiro, SCJ – PUCPR / Missão Somos Um
Pr. Edvaldo Nascimento – Nova Igreja / Missão Somos Um
Pr. Efigênio Pereira Santos – Missão Unidos pela Vida / ENCRISTUS – Cotia/SP
Pr. Geraldo Denardi – Ministério Íntimo do Pai – Curitiba/PR
Pr. Jonatas Prattis – Igreja Assembleia de Deus – Madureira/RJ
Pr. Márcio – Igreja Batista do Calvário – Rio de Janeiro/RJ
Pr. Orli Rodrigues – Associação Brasileira de Mídias Evangélicas
Sr. Alexandre Assunção – Missão Somos Um
Sr. Diogo Marangon Pessotto – Missão Somos Um
Sr. Douglas Soares de Souza – Comunidade Aliança de Misericórdia
Sr. Gil Vicente Gama – Núcleo de Empreendedorismo Cristão / Associação dos Dirigentes
Cristãos de Empresas – Rio de Janeiro/RJ
Sr. Marcello di Blasi – Di Blasi Gestão / Igreja Sara nossa Terra – Rio de Janeiro/RJ
Pr. Marcos – Igreja Assembleia de Deus – Madureira/RJ
Sr. Nilton Luiz da Silva – Representante de Sra. Doris Hoyer Fundadora da Comunidade Bom
Pastor – Rio de Janeiro/RJ
Sra. Angela Amorim – Com. Coração Novo/ Missão Somos Um
Sra. Dulce Cristina – Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Rio de Janeiro/RJ / Grupo Febda da Rocha
Sra. Elena Arreguy – Com. Shalom / Missão Somos Um
Sra. Érika Gama – Núcleo de Empreendedorismo Cristão / Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresas – Rio de Janeiro/RJ
Sra. Iete Aleixo – Com. Bom Pastor / ENCRISTUS
Sra. Izaltina Gonçalves – Coordenação dos Músicos Católicos – Rio de Janeiro/RJ
Srta. Jaqueline Poza – Comunidade Aliança de Misericórdia
Sra. Maristella Teixeira – RCC – Estado do Rio de Janeiro / Representante da Sra. Katia Roldi
Presidente Nacional da RCC e do Sr. Carlos Henrique Willemen Coordenador Arquidiocesano RCC
Sra. Raíssa – Comunidade MARCCA / RCC – Diocese de Sete Lagoas/MG representando do Sr. Welbert fundador
Sra. Soraya Moreno – Representante do Vice-Governador do Estado do Rio de Janeiro
Sra. Veronica Brendler – FICC / Missão Somos Um
Agradecimento especial às mídias e canais de comunicação que realizam a cobertura da Audiência:

PASCOM – Arquidiocese do Rio de Janeiro
Ponto das Igrejas
Rede Vida de Televisão
Sra. Claudia Martini Jornalista
STAFF Madureira Mídia / Comunicação

 

Em entrevista exclusiva, católicos e evangélicos falam sobre a importância do tema para a igreja e são presença confirmada na Conferência Internacional Somos Um.

Há poucos dias da “Conferência Internacional de Louvor e Adoração Somos Um”, o centro de eventos da Cidade das Artes, no Rio de Janeiro (RJ), já se prepara para receber cristãos católicos e evangélicos vindos de diversas regiões do Brasil e também de outros países, com o propósito de adorarem a Deus em unidade. O evento acontece entre os dias 3 e 6 de agosto (sendo os dias 5 e 6 abertos ao público em geral) e contará com as participações de padres e pastores do Brasil e dos Estados Unidos.

O projeto foi idealizado pelo missionário católico e fundador da Comunidade Coração Novo no Rio de Janeiro (RJ), Izaias de Souza Carneiro, que também integra a equipe de serviço do Encontro de Cristãos em Busca da Unidade e Santidade (ENCRISTUS) no Brasil. O objetivo é promover a unidade entre os cristãos através do louvor e da adoração.

Um dos conferencistas do evento, o pastor e líder há 30 anos do Ministério Koynonia de Louvor, Bené Gomes, fala sobre sua experiência com o tema da unidade. Segundo ele, foi em 2007, depois de um convite para ministrar em uma igreja católica no bairro do Meier, zona norte do Rio de Janeiro, que percebeu a oportunidade de estreitar laços com os irmãos. “Fomos muito bem recebidos por eles, que sabiam cantar a maior parte de nossas músicas. Desde então passamos a nos reunir uma vez por mês para orarmos, compartilharmos a palavra e termos comunhão, o que acontece até hoje”.

Para Bené, as diferenças doutrinárias existentes entre os cristãos não deveriam servir de justificativas para a divisão no Corpo de Cristo. “Eu costumo dizer que é possível sim ter unidade nas coisas essenciais como, por exemplo, a confissão de Cristo como único Salvador e sua centralidade em nossas vidas. Por outro lado, naquilo que não é essencial podemos divergir com maturidade e respeito, entendendo que a importância da unidade está acima das nossas diferenças de visões, leituras e interpretações bíblicas”. O líder do Koynonia também vê na ignorância espiritual e no preconceito os principais fatores que impedem o avanço da unidade entre os cristãos. “Quando Deus olha para os católicos e os evangélicos vê filhos lavados e remidos pelo sangue de Jesus que servem as igrejas nas quais estão inseridos”.

O evento recebe também o apoio do Cardeal Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ), Dom Orani João Tempesta, que lembra que “a igreja católica tem o documento do Concílio Vaticano II que fala justamente sobre o ecumenismo, que é o diálogo com todas as denominações cristãs, reconhecendo toda a disponibilidade e vontade de, daqueles que creem em Cristo, saberem se respeitar, se amar, rezar juntos e, ao mesmo tempo, vivenciar a unidade”. O cardeal também revela a importância da unidade no início de sua jornada e ordenação presbiteral. “Em minha ordenação de padre escolhi como lema ‘que todos sejam um’ e, de uma certa forma, levei para frente durante toda a minha vida até hoje como lema do meu trabalho pastoral, convicto de que realmente o Senhor nos deseja vivendo a diversidade e o respeito ao outro, sabendo que não se resume à uniformidade, mas sim à unidade em meio a diversidade. Tenho visto como isso é importante para mim, para a igreja enquanto tal e para o mundo” reforça.

Na programação da “Conferência Somos Um”, os participantes terão a oportunidade de acompanhar ministrações que falam a respeito da importância da música para a unidade dos cristãos. O pastor, músico e compositor Asaph Borba, que exerce grande influência no meio evangélico desde os anos 70, também será um dos conferencistas e conta que sempre acreditou na unidade da igreja. “Quando compus o cântico ‘Alto Preço’ foi uma declaração sincera de quem crê nessa verdade. Acredito que o louvor une sempre. Quem aprende a cantar junto aprende a viver junto”, reforça o cantor que possui livros, CDs e DVDs em diversas partes do mundo.

A mesma visão é compartilhada pelo assessor para o diálogo ecumênico da Diocese de Osasco (SP), Padre Douglas Pinheiro, outro conferencista do projeto que vê o louvor e a adoração como alguns dos elementos que, de fato, unem os cristãos. “O movimento carismático no Brasil, quando chegou ali pelas décadas de 70 e 80, não tinha ainda um arcabouço artístico do qual se servir nos grupos de oração. Então, por muitos anos nós nos alimentamos espiritualmente de louvores evangélicos, que era o que existia naquele tempo. Temos essa gratidão aos irmãos evangélicos por nos terem possibilitado um encontro com Deus através de músicas compostas por eles”, explica o padre, que também é professor de teologia sistemática na UNISAL-SP.

pastor Mike Herron é pianista, compositor e um dos líderes fundadores do “John 17 Movement” (Movimento João 17), uma iniciativa internacional que promove a unidade entre os cristãos. Ele é um dos convidados a ministrar no evento e diz ver na música a ferramenta que Deus está utilizando para restaurar o Corpo de Cristo. “Nós teremos católicos, protestantes, evangélicos e carismáticos e estaremos unidos para adorar ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Temos um só Senhor e um único Salvador. Estaremos lá para celebrá-Lo, aprender sobre Ele e como podemos adorá-lo mais efetivamente em nossos ministérios”.

Para mais informações, inscrições e sugestões de hospedagem, basta que o interessado acesse o site do evento missaosomosum.com.br ou baixe o aplicativo “Rede Somos Um”, uma plataforma lançada recentemente que facilita a busca por informações sobre o evento e outras notícias a respeito da unidade entre os cristãos. O App está disponível gratuitamente nos sistemas Google Play e iOS.

Conferência Internacional de Louvor e Adoração Somos Um

Data: 03 a 06 de Agosto

Local: Cidade das Artes – Avenida das Américas, 5300 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro (RJ)

No último dia 22 de janeiro (segunda-feira), Izaías de Souza Carneiro, que é fundador da Comunidade Coração Novo e presidente da Conferência Ecumênica Internacional de Louvor e Adoração Somos Um, esteve reunido com o Conselho Nacional da Renovação Carismática Católica (RCC) no Brasil à convite da presidente nacional do movimento, Katia Roldi Zavaris.

O objetivo do encontro foi a apresentação da Conferência Somos Um e os caminhos de preparação para o evento neste ano de 2018. Na ocasião, Katia Roldi confirmou sua presença na segunda edição da Conferência e incentivou os membros conselheiros da RCC a estarem presentes, animando suas equipes estaduais para participarem do evento.

A I Conferência Ecumênica Internacional de Louvor e Adoração Somos Um aconteceu em agosto de 2017, no Rio de Janeiro, e reuniu católicos e evangélicos de diversas igrejas do Brasil e dos Estados Unidos. A próxima edição acontecerá entre os dias 6 e 9 de setembro de 2018 na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. As inscrições para a Conferência poderão ser feitas a partir do dia 1 de fevereiro pelo site www.missaosomosum.com.br.

Serviço:

II Conferência Ecumênica Internacional de Louvor e Adoração Somos Um
Data: 6 a 9 de setembro de 2018

Local: Cidade das Artes  – Rio de Janeiro – Brasil